Comentários
Novidades 2 minutos 10 Setembro 2021

8 fatos surpreendentes sobre o Boneco Michelin

Há muito mais sobre o nosso adorado e fofo personagem do que você possa imaginar

#guiamichelinbrasil

Conhecida como "Boneco Michelin", a figura branca e gorducha, que é a cara da marca MICHELIN desde 1898, chama-se, na verdade, Bibendum (ou Bib, para os íntimos). De tão famoso, ele até dá nome a uma das categorias de premiação no guia MICHELIN, o Bib Gourmand, que seleciona os restaurantes com boa relação custo-benefício.

A inspiração para o seu visual veio de uma obra de arte formada por uma pilha de pneus instalada na Exposição Universal de Lyon de 1894. “Olha, com braços viraria um homem”, disse o fundador da empresa Édouard Michelin a seu irmão André.

E esse não é o único fato interessante sobre ele. Listamos outras curiosidades fascinantes sobre nosso querido Bibendum.

1. Originalmente, Bibendum era completamente diferente.
Em sua primeira versão, ele ilustrava os anúncios da marca erguendo uma taça com a frase "Nunc est Bibendum", que, do latim significa "agora é a hora de beber". Na taça, pregos e vidros quebrados, que representavam como os pneus Michelin eram duros e resistentes, e que não furavam facilmente.

©MICHELIN


2. Como a maioria de nós, ele passou por diferentes fases na vida.
No início, era retratado em diversos personagens como um gladiador, um kickboxer, um ágil dançarino de salão e, até, um bon vivant apreciador de cerveja e charutos - este último, tinha como objetivo conversar diretamente com pessoas de classe econômica mais alta, pois eram as que, até então, tinham dinheiro para comprar um automóvel.

Mas no início dos anos 1900 seus contornos foram suavizados, e o Boneco Michelin ganhou uma imagem mais simpática e familiar: passa a praticar esportes – ele corria e andava de bicicleta enquanto arremessava pneus como frisbees em alguns de seus anúncios - perde peso e fica mais forte e musculoso.

©MICHELIN


3. Os pneus não eram pretos até 1912! Por isso o Boneco Michelin é branco!
Antes de 1912, os pneus tinham uma tonalidade mais clara, eram branco-acinzentados. Por isso, o personagem foi retratado assim. Os pneus passaram a ser pretos posteriormente, quando o carbono foi adicionado à fórmula da borracha como conservante e fortalecedor.

4. Ele tem um cachorro branco igualmente fofinho.
Nosso Boneco Michelin ganhou como companheiro um cãozinho de nome Bubbles, com formas semelhantes à sua. Recentemente, a dupla foi adaptada para animação digital em anúncios para a TV americana.

©MICHELIN


5. Ele não é de falar muito...
Bibendum “falou” em sua primeira - e única - palestra em dezembro de 1898 em um Cycle Show de Paris. Na ocasião, André Michelin encomendou um grande boneco de papelão para ser montado no estande da marca, e contratou um comediante de cabaré para ficar atrás da montagem, dando voz ao boneco. De acordo com os registros históricos, André especificou que queria alguém que "se expressasse perfeitamente", com perspicácia e sagacidade, sem vulgaridade". O espetáculo atraiu uma multidão tão grande e curiosa para conhecer o Bib, que foram registrados alguns tumultos com “empurra-empurra”, e a polícia teve de ser chamada para restaurar a ordem.

Apesar desse episódio, desde o início dos anos 2000, quando os comerciais de Bibendum estavam por toda parte, suas aparições eram sempre tranquilas e silenciosas. Esta foi uma decisão da agência de publicidade Campbell-Ewald: “seu silêncio é uma escolha artística, ele é do tipo forte e discreto”, disse o diretor criativo da agência, John Stewart.

6. Ele é uma grande personalidade da mídia.
Quando a Michelin lançou uma revista de viagens italiana, em 1907, Bibendum recebeu uma coluna periódica para expressar suas ideias. Em um dos artigos, fez uma reportagem sobre um Baile das Nações que acompanhou, com elogios às senhoras representantes de várias nações, demonstrando um carinho particular pela Itália: "Ó, sublime Madonna, destino de Roma, aceita a minha homenagem, tu cujos olhos brilham com os esplendores de o renascimento." Mas nem todas as palavras eram de amor. Em outro trecho inflamado, Bibendum enfatizava o impacto esmagador de suas conquistas, chamando seus rivais de "pretendentes de rosto pálido com sorrisos fixos, símbolos vivos de uma ilusão destruída".

Mais recentemente, Bibendum fez uma aparição especial na série francesa de quadrinhos Asterix, como comerciante de rodas de carruagem. E estrelou, também, o curta-metragem francês de animação Logorama, que ganhou um Oscar em 2010.

©MICHELIN


7. Ele é tão querido que até tem móveis com design inspirado em sua imagem.
A arquiteta e designer Eileen Gray criou uma poltrona luxuosa e confortável, conhecida nos anos 1900 como Cadeira Bibendum. Ainda hoje a peça é amplamente reconhecida como um dos designs mais celebrados do século 20.

©DR


8. Um restaurante de Londres presta homenagem a ele.
Inaugurado em 1986, o Bibendum Restaurant and Oyster Bar, no bairro de Fulham, em Londres, é um projeto conjunto dos grandes restaurateurs britânicos Sir Terence Conran e Lord Paul Hamlyn. Os dois adquiriram a unidade dentro da Casa Michelin, um edifício art déco especialmente encomendado, que serviu como sede da fábrica da MICHELIN, de 1911 a 1985.

A frente do prédio era originalmente uma área de encaixe de pneus para motoristas que por ali passavam. Ainda hoje, permanecem os ladrilhos de mosaico que mostram Bibendum segurando uma taça, e os vitrais que o retratam como antigamente. O restaurante, agora rebatizado como Claude Bosi em Bibendum, está listado com duas estrelas na edição 2021 do Guia MICHELIN do Reino Unido.

E você, conhecia todo esse passado emocionante do Boneco Michelin? 

Novidades

Continue a explorar - Histórias que pensamos que irá gostar de ler

Siga o Guia MICHELIN nas redes sociais para atualizações e curiosidades.