Feedback
Novidades 2 minutes 04 Maio 2020

Comida solidária

Restaurantes selecionados pelo Guia MICHELIN se dedicam a projetos sociais em tempos de crise

Nos tempos de crise, a solidariedade e a empatia afloram com mais força e nos dão uma nova perspectiva em relação ao mundo que nos cerca.

Mesmo passando por um momento crítico, muitos restaurantes têm se dedicado a ajudar quem mais precisa, seja distribuindo marmitas a pessoas em situação vulnerável, doando parte de sua renda ou distribuindo ingredientes a ONGs e a projetos sociais.

Confira, abaixo, alguns bons exemplos de restaurantes que se engajaram em ações solidárias.


Aya Japanese Cuisine

Trabalhando a operação apenas com delivery, o faturamento do Aya caiu. Mesmo assim, o restaurante destina 5% de sua receita, de terça a quinta, para o projeto CAP do Bem. Capitaneada pelo Club Athletico Paulistano, a iniciativa reúne voluntários para distribuir marmitas a pessoas em situação de vulnerabilidade.


Casa Santo Antônio

Você conhece o Nosso Prato? O projeto conecta restaurantes a ONGs, que trabalham diariamente para apoiar pessoas em situação vulnerável. A Casa Santo Antônio participou: a cozinha preparou 200 marmitas por dia, durante 10 dias, e as encaminhou para organizações não governamentais, que distribuem as refeições em comunidades e bairros carentes de São Paulo, como o Capão Redondo. Para ajudar, é possível doar pelo site nossoprato.org os valores de R$ 9 (que equivale a um prato), R$ 45 (cinco pratos), R$ 90 (10 pratos) e R$ 270 (30 pratos).


Emile

O restaurante carioca, do hotel Emiliano, tem se dedicado a ajudar a Gastromotiva, projeto que trabalha para conscientizar a população sobre o poder transformador da comida e questões como desperdício de comida, fome, má nutrição e exclusão social. O Emile já doou mais de 1.500 kg de insumos para abastecer o banco de alimentos da Gastromotiva, que tem sede no centro do Rio de Janeiro. Você também pode ajudar o projeto pelo site oficial.


Ici Bistrô

O chef Benny Novak, também da Tappo Trattoria, suspendeu temporariamente as atividades de seus restaurantes. Mas ele entrega, uma vez por semana, 200 marmitas a pessoas em situação vulnerável. Ao lado dos chefs Marcelo Tanus e Guillermo Teran, da Cia. Tradicional do Comércio, Benny cozinha, monta e doa as marmitas à Comunidade Horizonte Azul, na zona sul de São Paulo. Para o sucesso da empreitada, os chefs contam com a preciosa ajuda dos fornecedores, que doam ingredientes e embalagens, além de fazer o transporte da comida. Tudo feito com muito carinho!


Jamile

Henrique Fogaça, também do Sal Gastronomia, segue no comando da cozinha do Jamile, mas agora com um foco diferente. No projeto Marmita do Bem, a equipe trabalha para cozinhar e entregar até 500 marmitas por dia a moradores de rua do centro de São Paulo. O objetivo do projeto é distribuir 10 mil refeições ao todo. Para ajudar Fogaça e sua equipe, você pode doar qualquer valor, a partir de R$ 10, pelo site Kickante.


Mocotó

O chef Rodrigo Oliveira foi um dos primeiros a se engajar em um projeto social. “A ideia surgiu logo que fechamos o salão, antes mesmo do decreto de isolamento, quando sentimos que não era seguro continuar servindo”, conta. “Pensamos no que poderíamos fazer com todos os recursos e produtos que tínhamos em mãos, e com a nossa equipe, que é super capacitada”. Rodrigo, então, contatou a associação do bairro onde fica o Mocotó, a Vila Medeiros, na zona norte de São Paulo. A instituição mapeou as famílias que vivem em situação de vulnerabilidade na região - as marmitas são, principalmente, destinadas a elas. Batizado de Quebrada Alimentada, o projeto começou pequeno, mas foi crescendo. “Fazíamos 50 marmitas por dia. Depois, passamos para 100 e, hoje, estamos fazendo 200”, diz Rodrigo. “E estamos nos preparando para aumentar ainda”. Para ajudar o Mocotó, você pode doar pelo site vakinha.

Novidades

Siga o Guia MICHELIN nas redes sociais para atualizações e curiosidades.