Feedback
Viagem 1 minuto 18 Fevereiro 2021

Ipanema, meu amor

Berço da bossa nova já foi aldeia indígena e hoje é corredor gastronômico. Saiba como percorrê-la a pé.

#guiamichelinbrasil

É uma faixa de terra que corre paralela ao oceano Atlântico, entre o Arpoador e o Jardim de Alah. Até o fim do século 18, a área onde hoje se ergue o bairro de Ipanema era ocupada apenas por índios, especialmente os membros da aldeia Kariané.

No século 19, o grande terreno transformou-se em chácara, com suas terras pertencentes ao Conde de Ipanema. Foi ele quem, em 1894, batizou o bairro e, no intuito de vender os lotes, projetou praças e avenidas, algumas delas existentes até hoje. Mas a mudança maior aconteceria mesmo dos anos 1960 a 1980, com o boom imobiliário: A avenida Vieira Souto se tornou um dos endereços mais nobres e cobiçados da cidade, superando a avenida Atlântica, em Copacabana. Hotéis, turistas, lojas e restaurantes... tudo viria na sequência.


Poucos contaram sua história tão bem quanto o jornalista Ruy Castro no livro "Ela É Carioca", uma enciclopédia sobre uma geração de moradores ilustres: Glauber Rocha, Leila Diniz, Rubem Braga, Paulo Francis, Tom Jobim, Ziraldo, Vinicius de Moraes, Millôr Fernandes, Danuza Leão, Ivan Lessa e os presidentes generais Gaspar Dutra e Castello Branco e tantos outros. Começou em Ipanema, segundo o autor, a bossa nova, o cinema novo e o "Pasquim". A contracultura, o amor livre, o coloquialismo e gírias como "fossa" também saíram do bairro e de sua efervescência, imortalizada na "Garota de Ipanema" de 1962.


Hoje, a concentração de lojas, galerias de arte e restaurantes alinhada à natureza exuberante da paisagem carioca faz inveja a grandes bairros ao redor do mundo. Entre um café, uma ida a uma livraria charmosa e um volta na Praça Nossa Senhora da Paz, vale a pena explorar alguns dos restaurantes indicados pelo Guia MICHELIN:

Na rua Maria Quitéria, por exemplo, fica o Bib Gourmand, Maria e o Boi, especializado em carnes com acompanhamentos generosos. Na Epitácio Pessoa, quase no Leblon, fica o Artigiano, Bib Gourmand inspirado pela cozinha da Emilia-Romagna, com todos os pratos elaborados artesanalmente. Na Barão da Torre, está o também Bib Gourmand Pici Trattoria, onde receitas clássicas italianas se conjugam a ingredientes brasileiros; o Satyricon, especializado em frutos do mar (com lagostas frescas expostas no aquário!); e o Oia Cozinha Mediterrânea, que traz receitas gregas enriquecidas com sabores próprios de outros países da região.


Se o tempo ajudar, existe ainda aquela que é a melhor das atrações: um mergulho no mar gelado frente a seu posto preferido, com direito a mate, água de coco ou chope, de acordo com as preferências de cada um.

Viagem

Continue a explorar - Histórias que pensamos que irá gostar de ler

Siga o Guia MICHELIN nas redes sociais para atualizações e curiosidades.